Social selling é a utilização das redes sociais para vender mais em ecommerce. O lançamento de um projeto de vendas online é seguido pela preocupação em fazer vendas. A Facestore e o Instagram shopping são as ferramentas mais evidentes para angariar, converter e fidelizar clientes em projetos de ecommerce. Os ventos de mudança chegaram à sua loja online com o guia de social selling.  

Um segundo é suficiente para…

– Publicar 1160 posts no Tumblr.

– Fazer o upload de 721 fotografias no Instagram.

– Concretizar 28.935 gostos em fotos do Instagram.

– Criar 6 novos perfis no Facebook.

– Realizar 469.445 likes (gostos) no Facebook

– Partilhar 7.203 tweets.

– Ver 122.373 vídeos no Youtube

– Efetuar 162 pins no Pinterest.

– Lançar dois novos perfis no LinkedIn.

E por aí adiante, sem referir redes sociais como o Reddit, o Snapchat e o Whatsapp. Entender as redes sociais numa perspetiva mais profissional permite identificar um campo repleto de oportunidades. Porquê vender de forma diferente? Porque a transformação digital gerou formas diferentes de comprar.

Leia também: Rapsódia boémia: o marketing digital em Portugal é uma criação poética?

Social Selling

Há sempre uma rede social que faz perfect match com o seu negócio. Ou seja, que tem as ferramentas necessárias e chega ao público que a marca pretende. Através de um investimento relativamente baixo consegue chegar a milhões de pessoas, interagir e fidelizar clientes.

social selling significa que as redes sociais são utilizadas enquanto ferramentas de análise e impulso de vendas. O Facebook, o Instagram e o LinkedIn são alguns dos ecossistemas com maior expressão neste fenómeno.

LinkedIn

LinkedIn - Guia de Social Selling - os ventos de mudança chegaram à sua loja online

Promove a interação entre milhares de profissionais e empresas.

Permite localizar um público-alvo específico.

Estimula potenciais parcerias.

Reúne informação para uma abordagem mais focada no alvo.

Investe na personalização em publicidade com diferentes tipologias.

O LinkedIn promove uma comunicação rápida, direta e eficiente entre empresas e público alvo. É uma rede social particularmente relevante para compradores B2B (business to business) e é considerada uma fonte real de leads ou potencias negócios. O LinkedIn Sales Navigator é uma das soluções empresariais mais populares da plataforma criada em 2002 e que conta com mais de 500 utilizadores ativos. De forma complementar, a partilha regular de conteúdo e a utilização dos serviços de análise duas boas práticas a seguir.

Aproveite para ler: Guia de E-commerce: o carrinho da sua loja online não é um lugar silencioso

Notoriedade, novos clientes e vendas são três resultados gerados pelo LinkedIn e que podem ser aplicados às restantes redes sociais, com foco para as que também iremos analisar de seguida: o Facebook e o Instagram.

Facebook

Lançar uma loja online no Facebook ou adicionar uma secção Loja à página de Facebook da sua empresa significa investir na oportunidade de vender diretamente na maior rede social do mundo. Vender dentro do Facebook é fácil e rápido, sendo que a loja online está integrada na sua página empresarial e pode ser utilizada por qualquer pessoa. Todos sem exceção poderão ver o conteúdo, fazer encomendas e efetuar pagamentos.

A loja é instalada no Facebook automaticamente e pode ser atualizada de forma intuitiva. A loja no Facebook deve estar, no entanto, integrada numa estratégia que inclui loja WEB e loja mobile.

Instagram

Instagram- Guia de Social Selling - os ventos de mudança chegaram à sua loja online

O Instagram já não é apenas uma forma divertida e criativa de partilhar fotos, vídeos e mensagens com os amigos. O seu crescimento galopante consolidou-a enquanto rede social capaz de gerar valor para empresas que a integram na sua estratégia de marketing. Atualmente existem mais de 15 milhões de perfis empresariais e perto de dois milhões de anunciantes.

É possível partilhar anúncios no feed dos utilizados assim como nas histórias. O Instagram shopping confirma a crescente comercialização da plataforma: torna possível publicar fotografias e inserir etiquetas de preços nos produtos. O processo é exatamente igual ao de identificar utilizadores. Como utilizar esta ferramenta?

– Criar um perfil empresarial no Instagram.

– Publicar fotografias com produtos.

– Criar uma secção de loja no Facebook e que pode estar visível ou não. Aguardar cerca de duas semanas até a funcionalidade estar disponível no Instagram (mediante aprovação do Facebook).

– Identificar produtos torna-se opção disponível em novas publicações.

O Instagram promove esta ferramenta como o futuro do ecommerce social. As publicações compráveis geram oportunidades mais fortes para os utilizadores de envolverem com as marcas. A informação está acessível de forma rápida e simples. Um simples clique basta para ter tudo o que precisa para tomar uma decisão de compra, sem deixar o Instagram.

Sabia que…

– 500 milhões de utilizadores ativos diariamente.

– 800 milhões de utilizadores ativos mensalmente.

– 5 milhões de perfis empresariais ativos

– 60% dos utilizadores refere que descobre novos produtos no Instagram.

– 75% dos utilizadores fazem uma ação após ver uma publicação de um perfil empresarial: visitar o website, pesquisar, comprar ou partilhar com um amigo.

– 80% das contas do Instagram seguem um negócio no Instagram.

Fonte: Instagram.

O atendimento ao cliente nas redes sociais

As redes sociais são marcadas por um atendimento ao cliente rápido, exigente e simples. É o elemento que pode fazer a diferente na fidelização de um cliente à marca, em que a venda é apenas o resultado de uma estratégia e o início de uma relação.

O atendimento ao cliente é uma forma de diferenciação e que deve ser particularmente trabalhado nas redes sociais. Como é que se garante a coerência no tom de voz da marca nas redes sociais? É essencial a capacidade para compreender o cliente, saber ouvir e dar respostas adequadas. Quais são os fatores fundamentais para um bom atendimento ao clientes nas redes sociais?

  1. Rapidez.
  2. Coerência nas respostas.
  3. Trocar o mínimo número de mensagens possível com o cliente.
  4.  Dar respostas concretas.
  5. Deixar sempre uma última mensagem que revele atenção e comprometimento.

Como implementar internamente o social selling?

Comprometimento

A transformação digital gera uma mudança imparável nos atuais modelos de negócios. O social selling faz parte deste processo e o compromisso com as novas ferramentas deve ser transversal à estrutura de qualquer marca.

Organização

É vital manter os passos do processo organizados.

Indicadores-chave

Existem três indicadores-chave a considerar em social selling e que se sustentam em diversos subfatores.

Fator 1: Aquisição. Os seus subfatores são:

– Perfis nas redes sociais (comunidade e alcance)

– Serviço de apoio ao cliente (sentimento)

– Branding (menções)

Fator 2: Ativação

– Ímanes de leads (conversões)

– Concursos (participantes)

– Publicações (envolvimento e cliques)

Fator 3: Absorção

– Publicidade paga (remarketing, marketing de influência e motores de busca)

Fonte: Buffer

redes sociais 2018 - digitalgreen - social selling

Reflexão

social selling oferece uma precisão que a venda tradicional não permite na maioria dos casos. Adicionalmente, tem uma rapidez e escabilidade notáveis. Todavia, a estratégia não passa por retirar o investimento dos canais de comunicação mais convencionais e canalizá-los para este novo formato de fazer vendas. Os meios são complementares, sem prejuízo de realizar investimentos em diferentes instrumentos para aumentar o volume de negócios.

A utilização das redes sociais no reforça de relação e na expansão de negócios exige tempo, planeamento e análise constante. É um ritmo maluco que pode trazer resultados compensatórios, mas que também tem perigos.

Leia também: Geração de leads: ímanes para aumentar os seus subscritores – Parte I

As projeções indicam que em 2020, daqui a apenas dois anos, 90% dos negócios online estarão a utilizar redes sociais para apoio ao cliente (fonte: Neil Patel). De forma transversal a todos as redes sociais, o investimento em social selling também implica:

– Produção de conteúdo relevante.

– Interação.

– Trabalho permanente e integrado.

– Utilização das plataformas de mensagens.

Para saber mais sobre social selling, fale connosco. A equipa digitalgreen está sempre disponível para desenhar soluções à medida e implementar experiências digitais invencíveis.

Cuide dos seus cliente. Porquê?

Há sempre uma história que faz o cliente regressar.

Há sempre um detalhe que faz o cliente falar da sua marca aos amigos.

Há sempre um amigo que também quer ser amado pela sua marca.

Seja social

Isto significa que apenas 20% da atuação da sua marca nas redes sociais deve ser sobre os produtos ou serviços que comercializa. Não perca a oportunidade de partilhar tendências, conteúdo relevante, notícias, entre outros.