digitalgreen digitalgreen

tendências do e-commerce

Conhecer o comportamento dos consumidores – tendências do e-commerce em Portugal

Scroll Down

O comércio eletrónico está a crescer.

Para os que querem apostar mais no mercado do comércio eletrónico, é fundamental conhecer o comportamento dos consumidores. Neste artigo, conheça os dados de um dos estudos de referência sobre e-commerce em Portugal.

Quando decide dar o passo como empreendedor digital e criar o seu próprio comércio electrónico, vai necessitar de dados, muitos dados, para tomar as melhores decisões. Não sabe muito bem onde procurar?

Neste artigo, compilamos a informação sobre o uso do digital ao nível mundial, em Portugal e quais as tendências do e-commerce no nosso país.

Neste artigo, compilamos a informação sobre o uso do digital ao nível mundial, em Portugal e quais as tendências do e-commerce no nosso país.

Panorâmica do digital e do comércio eletrónico

É possível conhecer o panorama mundial da internet, e restantes informações sobre a utilização das várias plataformas digitais de comércio eletrónico, ao consultar os dados do relatório digital global que publicámos no início de 2022. Através dele, podemos concluir que:
• o uso da internet tem vindo a aumentar (5 mil milhões de pessoas em todo o mundo);
• o tempo que o utilizador passa na internet é, em média, de quase 7 horas;
• desse tempo, 2h27 são dedicadas às redes sociais;
• o Youtube, seguido do Tik Tok, é onde se passa mais tempo;
• 58,4% compra algo online todas as semanas (em Portugal são 45,5%);
• as vendas nas redes sociais ganharam importância;
• os utilizadores compram conteúdo digital;
• um em cada 10 utilizadores possui criptomoedas.

Depois de conhecer o panorama global, vai querer saber como os portugueses usam a internet e quais as tendências do uso do digital em Portugal, para poder implementar estratégias e aumentar a sua própria faturação no seu negócio de comércio eletrónico. Por exemplo, a maioria dos utilizadores portugueses acedem à internet na palma da mão, ou seja, no seu smartphone, e por lá navegam quase 8 horas diárias. 

Os portugueses procuram:

  • informação 
  • como fazer qualquer coisa 
  • comunicar com amigos e família, maioritariamente. 

A jornada do consumidor: pré-compra; compra; pós-compra

Já não é novidade que uma das primeiras fases da jornada do consumidor é a pesquisa online de produtos, seguindo-se a compra na loja online ou nas lojas físicas e, eventualmente, a devolução ou troca do produto. O processo parece simples, mas está cheio de obstáculos.

Pré-compra: como e onde se pesquisa?

Segundo o estudo dos CTT Portugal, o smartphone é o meio utilizado para realizar a maioria das pesquisas online, e, muitas vezes, as compras de comércio eletrónico (52,4% afirma que o faz). Tal acontece com maior frequência quando são eletrodomésticos (70,9%) e equipamentos eletrónicos e informáticos (53,4%), entre outros que podem ser confirmados no estudo.
O consumidor português recorre diretamente aos sites das marcas (69,7%), comparadores de preços (45,3%) ou motores de busca (43,7%) para encontrar aquilo que procura. No entanto, o contrário também acontece, ou seja, pesquisar na loja física, para concluir a compra no site (41,7%).
Mas, a procura de produtos também se faz nos marketplaces, redes sociais, testes comparativos de produtos, lojas físicas de terceiros, etc. Com tanta informação a circular, a vantagem de quem vende será manter-se presente na mente do seu cliente.

Onde devo marcar presença para ser encontrado na pesquisa?

• deve trabalhar para aparecer nos motores de busca, através da redação de conteúdo de acordo com regras SEO e também através de anúncios.
• marque presença em sites comparativos de preços ou diferentes marketplaces.
• esmere-se na página do produto: descrição detalhada, várias imagens (também otimizadas para SEO); esclareça custos de envio e política de troca ou devoluções.
• crie relacionamento com o seu cliente através de email marketing, comunidades nas redes sociais, etc. Fidelize-o, para que volte ao seu site para comprar.

O abandono da compra ainda na fase de pesquisa

De acordo com o estudo sobre e-commerce, avançado pelos CTT, tal acontece, maioritariamente, motivado por:
• preço elevado;
• e informação dispersa e pouco clara dos produtos.
Mas, há outros motivos, como:
• a pouca confiança no vendedor;
• informação pouco clara dos custos finais de compra;
• desconfiança quanto ao serviço de entrega;
• informação insuficiente quanto às devoluções ou quanto ao processo de compra.

A compra: quando, onde e como?

Os consumidores portugueses, entre os 18 e os 44 anos, e com mais elevados níveis de escolaridade, são aqueles que mais compram através do comércio eletrónico, em especial na Área Metropolitana de Lisboa, Zona Centro e Norte. A média anual de gasto é de 998€ por consumidor.
Depois das pesquisas necessárias, o consumidor concretiza a compra, maioritariamente, a partir de casa (97%), ou do trabalho (23%). A generalidade diz que não tem um dia ou hora específicos para comprar, mas há uma larga percentagem que prefere comprar mais ao sábado ou nos períodos da noite.
Apesar de o smartphone estar a assumir um papel crescente na jornada de compra (52,4%), os consumidores ainda preferem usar o portátil (64,6%) para concretizar as operações.
Quem compra por impulso, assume que tem uma necessidade e vai pesquisar online (63,2%), mas também vai diretamente aos sites das marcas (38,6%), descobre produtos enquanto navega (36,8%) ou deixa-se levar pela atratividade das promoções ou cupões (34,4%).

Conclusão

Uma coisa é certa: o mercado online veio para ficar. Por isso, se quiser criar a sua loja online nós podemos ajudar. O nosso expertise no desenvolvimento de lojas online, e de outras soluções para o universo digital. Antes de avançar, contacte-nos e perceba o que podemos fazer pelo seu negócio.

 

contrato de suporte e sua importancia

Porque ter um contrato de suporte?

“A tecnologia da informação tornou-se crucial para as organizações em todos os setores, permitindo comunicação, produtividade e eficiência em diversas operações de negócios.“ Uma interrupção

Ler mais »